O pequeno Eu, os meus pequenos Meninos e os nossos pequenos Momentos...que de tão pequenos que são se tornam grandes em tudo!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Era uma vez um espelho...



 Hoje dei por mim a pensar nas várias utilidades de um espelho, e de facto existem algumas bastante importantes, mas foi naturalmente sobre a mais óbvia que me debrucei.
Todos nós olhamos para um espelho durante a nossa rotina diária, antes de sair de casa, no carro, numa montra de uma loja (quando até os vidros servem de espelho), no trabalho, no wc ou quando chegamos a casa, e na maioria das vezes todos o fazemos simplesmente por fazer, por olhar, com ou sem razão especial, uns mais e outros menos!
Na verdade, existem vários espelhos nos sítios onde passo a maior parte do  tempo, refiro-me especialmente ao meu local de trabalho. Não é uma sala muito grande e chega bem para nós, 10 crianças e 2 adultos, mas além de muitas outras coisas tem dois espelhos. Não têm certamente a mesma utilidade daqueles que todos temos em casa, servem principalmente para as crianças se observarem, e isso por si só é uma aprendizagem fantástica.
A descoberta do "eu existo", "eu tenho isto" ou "eu sou assim" é feita (também) através da observação e exploração de si mesmo, e o espelho é sem dúvida um óptimo auxiliar!
É extraordinário ver uma criança a tocar , a fazer caretas, a dar beijos, a sorrir ou até mesmo a falar com um espelho, e eu dou graças a Deus por ver isso todos os dias.

3 comentários:

  1. E cedo, cedo, começa a descoberta de si próprio e depois do mundo à sua volta e dele reflectido no seu olhar... e depois, pouco a pouco, são tantas as imagens, os conceitos, significantes e significados que edificam um Ser diferente de tudo e de todos e a consciência que ele tem, disso mesmo.

    Beijocas, estás a caminhar lindamente. E como eu gosto de te ver...

    ResponderEliminar
  2. O espelho é um objecto muito curioso, dado o poder que exerce sobre quem se reflecte nele próprio. Já constatei animais assustarem-se com a sua própria imagem levando-os a eriçarem-se consigo próprios...Num dos meus espaços de trabalho também tenho um espelho, GRANDE, e também tenho crianças, e não raras vezes tenho de apelar à sua atenção, porque se perdem na admiração de si próprios. Noutras situações uso o próprio espelho, ele está lá para isso, e embora como instrumento de trabalho, a auto-admiração continua. O meu Eu já não perde tanto tempo a olhar-se ao espelho como no passado, o que prova que tudo tem o seu momento de importância na nossa vida.

    Beijinhos.

    (Nota: em Mosaicos já havia uma cara bonita...:))

    ResponderEliminar
  3. Considero este post muito relacionado com o anterior.

    Se calhar o mal deste mundo são os "adultos" não olharem mais ao espelho para tentar ver quem são por dentro, o que estão a fazer, perceber para onde querem ir.

    Talvez fosse interessante perguntares às crianças no que estão a pensar quando se olham ao espelho, talvez a resposta fosse surpreendente.

    **

    ResponderEliminar